Warning: Parameter 1 to modMainMenuHelper::buildXML() expected to be a reference, value given in /htdocs/public/geral/libraries/joomla/cache/handler/callback.php on line 99

Calendário

<<  Maio 2018  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
   1  2  3  4  5  6
  7  8  910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   

Mapa

Coordenadas GPS:

40º36'21''N
7º45'57''W

Ver mapa aqui.

Entrada



Visitas

mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje8899
mod_vvisit_counterOntem10411
mod_vvisit_counterEsta semana44779
mod_vvisit_counterEste mês99931
mod_vvisit_counterTotal4193053
Visitors Counter 1.5
Actividades
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Centro de Dia - Actividades

Idosos comemoram o dia Mundial da Criança

CAM03208 800x600

       Para comemorar o Dia Mundial da Criança, os idosos do Centro Social e Cultural da Paróquia de Mangualde promoveram uma atividade , no dia 2 de junho, que envolveu a sala dos cinco anos do jardim de infância da instituição.

A atividade decorreu durante a tarde, no jardim exterior da instituição.

Os idosos cantaram músicas tradicionais portuguesas e as estagiárias do curso Técnico de Animação Sociocultural contaram dois contos infantis muito interessantes.

Crianças e idosos gostaram deste momento de descontracção e encontro intergeracional.

 

 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Centro de Dia - Actividades

(PÁSCOA ANO 2015)

 

Mais um ano se passou e quase nem se deu por isso, estes doze meses decorridos, não deram para esquecer a pascoa que á um ano nos deixou.

O calendário da vida não para, para isso acontecer não há nada que se faça e nem da para entender, como rápido o tempo passa.

A sua companheira primavera, já a cá temos, todos os anos se antecipa, porque quer chegar mais cedo.

Nos já estamos de mangas arregaçadas, á espera da Pascoa deste ano, para a receber – e lhe darmos as boas vindas.

Sabemos que ela já vem a caminho e nos seus passos lentos e vagarosos, não vai tardar a chegar.

Esperamos que na sua bagagem, nos traga boas novas, como sempre tem acontecido, nos anos anteriores.

Com a sua chegada, o nosso coração transborda de alegria, os nossos olhos já deslumbram o desbrochar da natureza, com as árvores em flor.

E não vai tardar, que as mesmas nos presenteiem com aroma e paladar, dos seus deliciosos e apreciados frutos, amadurecidos com o calor do Verão.

O Inverno já se foi embora – e com ele levou o frio e a chuva e todo o mau tempo, tudo isso nós sofremos, sem ser a nosso contento.

Com a sua partida, deu lugar á chegada da primavera, que todos os anos nos vem presentear, com a chegada de mais uma Pascoa.

Nessa altura tudo começa a desenvolver-se e a ter vida, os dias são mais longos e mais quentes, o nosso corpo também aquece, fica com mais actividade, para nos por mos em movimento.

Como sempre, a Pascoa traz-nos muitas coisas boas, desde as regalias materiais, ate á paz interior.

Só que nós muitas vezes, nem sequer nos apercebemos, que ela nos presenteia, com tantas beldades.

Também nos vem lembrar para pôr-mos em dia, os nossos deveres religiosos e não só – e nos incentiva e encoraja, a esquecer-nos a nós pelos outros.

Lembro aqui, a parábola do bom samaritano, julgo não haver ninguém que não a conheça, ela é longa e não da para anotar toda, mas nunca é demais recorda-la, por isso, deixo aqui um pequeno resumo, para lembrar o que nos toca mais fundo.

“É assim” – o samaritano no percurso da sua viagem, a dada altura deparou-se com um Homem, caído e ferido, a sofrer á beira da estrada.

Condoeu-se dele – e mesmo sem o conhecer, não hesitou em lhe prestar o necessário socorro, apesar do moribundo não incomodar ninguém, com os seus lamentos e queixumes. – É assim a dor de quem sofre em silencio, quando mais se precisa, menos ajuda se pede.

O samaritano ao ver o seu próprio naquele estado, colocou-o sobre o dorso só seu jumento – e transportou-o ate a primeira estalagem.

Chegados la, solicitou a presença do estalajadeiro e o encobriu de tratar do doente, ate ao seu total restabelecimento.

Apesar das suas poucas posses, prontificou se a pagar todas as despesas, que por ventura viessem a ser feitas conferido, - e cuja importância saldava no seu regresso.

A Pascoa é tudo isto, esquecermo-nos a nós, para ajudar os outros.

Não devemos negar nunca, a nossa ajuda a minguem, pois só assim com este exemplo, é que podemos mostrar ao mundo, que não somos nós que vivemos, mas sim Cristo é que vive em nós.

É Pascoa!... Esta frase profética, resume-se á ressurreição de Jesus, nesta quadra pascal, não se dispensa uma palavra, sobre este tão grande mistério.

Acontecimento de grande incidência, na vida de todas as gerações- E isso nos lembra o próprio evangelho. Que nos diz.

Aproxima-se a vinda do senhor, ou melhor, comemora-se a sua ressurreição- e nenhum cristão pode  ficar alheio, a este tão grande e memorável acontecimento.

Ele o Senhor é alguém no meio de nós, alguém que é razão de ser, e que devemos seguir e conhecer.

Mas tudo isto só conseguimos, se seguirmos os conselhos que nos dava João Batista, á cerca de dois mil anos.

Ele está no meio de nós dizia o santo, ainda hoje o senhor está no meio de nós, muito próximo e acessível, só que muitas vezes não nos apercebemos da sua presença.

Não devemos pensar, que ele vem com aparências milagrosas:- (Não isso não) - ele não vem assim!

Vem sim Senhor, quando aceitamos que o que nos diz o evangelho, - vem quando lemos a Bíblia ou a sagrada escritura, - vem quando assistimos a santa missa e recebemos a eucaristia – vem ainda quando ajudamos alguém, a resolver os seus problemas e carece da nossa ajuda e protecção.

Estes acontecimentos, são os meios de que o senhor se serve, para bater a nossa porta e no nosso coração, para nos dizer que tudo isto é Pascoa.

Nesta quadra festiva, façamos como o senhor, que não descrimina ninguém, ele está dia e noite de braços abertos, para nos atender e desculpar os nossos erros.

Sempre atento e disponível,

Para nos dar atenção,

Seu amor e infinito,

A nada nos diz que não,

A Pascoa vem-nos lembrar,

A sua Ressureição,

O senhor ressuscitado,

Desculpa as nossas faltas,

E dá-nos o seu perdão.

Para nos proteger,

Está sempre a nosso lado,

E para nos defender,

Anda sempre a nos ligado,

Podemos contar com Jesus,

Agora ressuscitado,

Liberto da sua cruz,

Desculpa o nosso pecado.

Indica-nos o bom caminho,

E no mesmo nos conduz,

Não nos deixa andar sozinho,

Ele e toda a nossa luz,

Segue-nos todos os passos,

Alivia-nos a cruz,

Todas as horas do dia,

É Pascoa, ressuscitou Jesus,

Aleluia!... Aleluia!...

Eu vim para servir – e não para ser servido, disse o senhor, também nós, para termos uma boa Pascoa, devemos fazer como ele, esquecer-nos a nós para ajudar o nosso próximo, pois só assim é que a Pascoa tem o seu verdadeiro sentido.

O senhor nunca nos desampara, ele caminha a nosso lado todos os dias e muitas vezes não reconhecemos, - como já atras referi,, reconhecemos sim, como nos continua a dizer João Batista, se tens duas túnicas reparte-as com quem não tem nenhuma.

Reconhece-lo, quando não usamos de violência e quando não acusamos ninguém injustamente.

Estes conselhos ainda hoje são actuais – e para todos nós, que vivemos nestes dias que correm e se os aceitarmos, decerto que já estamos a viver uma boa e santa Pascoa.

E pelo nosso exemplo, podemos fazer passar, todos estes ensinamentos dados pelo santo; - e sendo assim porque esperamos?

Não podemos ficar, de braços cruzados, á espera do dia de amanha, porque esse dia para nós, pode não amanhecer, nem romper a aurora.

Na quadra festiva da Pascoa, em quase todos os lares se comemora, a Ressureição de Jesus, que este mistério, ao entrar na mente das crianças, entre também no nosso coração de adultos e nos desperte para viver com alegria e entusiasmo a Pascoa; - já que ela e festa por excelência.

E assim de consciência limpa e alma lavada possamos ir tranquilos, confiantes e sem receio, beijar a cruz do nosso redentor que se fez menino, para com um mais á vontade, possamos ir ate ele.

O menino Deus - é aquele, de quem São Paulo escreve numa das suas pistolas: - e diz, sei em quem acredito.

Estas palavras, devem ser também, as de todos nós, pois só assim, é que podemos mostrar e dizer, que também somos meninos para Deus e Homens para o mundo e para o nosso próximo.

“São Paulo continua a dizer-nos” – que se tivermos um coração terno e generoso, podemos abrigar nele toda a humanidade.

No entanto, diz-nos ainda, que mesmo que nós faça-mos tudo todos os dias o que ele nos diz, não passamos de uns seres torpedos e balofos, que a maior parte das vezes só pegamos e nada fazemos, que só enxergamos com os olhos do corpo – e fechamos os olhos do coração e da alma.

E em vez de avançar – e seguirmos em frente, retrocedemos a marcha, e desviamos os outros, que caminham a nosso lado.

Muitas são as vezes, que o senhor nos aparece e se á beira de nós, disfarçado de mendigo.

Viramos a cara para o lado, para não o encarar de frente – e olhamos para ele, como se fossemos vesgos, só olhamos de frente e a direito, para os nossos interesses pessoais.

O senhor não é assim, ele olha-nos de alto a baixo par nos poder julgar.

Continuando digo: - que com a pessoa a chegar, toda a natureza está em festa e digna de se louvar.

Quando chega a primavera,

Todos os anos e assim,

E nesta altura da Pascoa,

O mundo é um jardim,

Com as papoilas encardas,

A brilhar entre os trigais,

São tão belas e delicadas,

Com as rosas nos rosais.

Se espraiarmos a visão,

Mais beleza vamos ver,

Toda essa imensidão,

Da vista a desaparecer,

Com as árvores em flor,

E tudo a verdegar,

De uma infindável beleza,

E de uma graça sem par.

É uma grande riqueza,

Que Deus manda lá do alto,

Alindar a natureza,

De socalco em socalco.

É uma graça divina,

Que nos vem presentear,

E Deus teve a gentileza,

De com ela nos prendar.

Os montes as serras e os vales,

Estão todos em flor,

De uma limpeza sem igual,

Com tudo a mudar de cor,

Foram bafejados pela Primavera,

Que os visitou,

Com o seu bom ideal,

A sua graça operou,

Com a bênção da suavidade,

Os clorizou e matizou.

Todos são de admirar, não podemos resistir, sem tudo isto louvar, - e toda esta beleza a devemos conservar.

O calor que já se vai sentindo, faz brotar da terra, todas as plantas e arbustos, que com o frio do Outono e do Inverno, se aninharam entre frondosos ervaçais.

As árvores que no Inverno, foram fustigadas pelas chuvas e fortes ventos, que as deixou despidas e esqueléticas, estão nesta altura da Pascoa, a deitar os seus novos ramos, verdes e viscosos, com o calor que já se vai sentindo, tudo começa a ter vida.

Nesta altura, também deixamos de andar a tremelicar com o frio, mormente os mais idosos, pouco a pouco o calor vai aquecendo os nossos corpos, torna os mais flexível - e com mais facilidade nos pomos em movimento.

O sol e o calor, é uma das grandes dádivas, que Deus e a natureza, concede a todo o ser vivo, que habita o planeta terra.

Nesta altura da Pascoa, já se ouve o alegre cantar dos passarinhos, a dar-nos a sua música, dos mais variados tons, do seu chilrear.

Já se nota o frâmito do esvoaçar das andorinhas, á volta dos beirais das casas, a anunciar-nos a chegada da Pascoa.

Já se vêem as borboletas, que embora nocivas mas lindas, matizadas de várias cores, juntas com as libelinhas, a sobrevoar os campos e a beijar as flores.

Também já se ouvem, os grilos a cantar, a porta da sua casa, a anunciar as noites quentes, cantam a tempo inteiro, não se fazem nada rugados, na eira e nos lateiros, á grilos por todos os lados.

Já se ouve o zumbido das abelhas, por esses campos fora e a volta das suas colmeias: - assim como o estalar do abrir das pinhas, nos espessos e frondosos pinheirais.

Já se ouve coxear das rãs , á beira dos riachos, nos lagos e nas possas de água.

Já se ouve o cantar do cuco, empoleirado no cruto das árvores – e não vai tardar, a ouvir-se o cantar das cigarras, no meio das cearas e dos trigais, a entoar cantigas aos ceifeiros.

Com a chegada da Pascoa, todo o ser vivo desperta, com o ar da sua graça, põem toda a natureza em festa.

Nesta quadra festiva, todo o ser que tem vida, se sente feliz e bem, por isso se movem num constante vai e vem.

Com o tempo a melhorar, tudo se torna mais belo, são mais lindos os montes, todos os seus arbustos em flor,

São mais coloridos os jardins – e mais claras e límpidas, as águas das nascentes, das fontes dos rios, dos lagos e das albufeiras.

Sem o calor, não se efectuava a evaporação das águas, que geram e formam as nuvens, que transportam a chuva, que rega o solo, fortifica a terra e da raiz das plantas, o necessário suco para o seu desenvolvimento.

Sem o calor nada disto existia e facilmente toda a flora morria.

Com todas estas regalias, que Deus e a natureza nos oferece, somos convidados a reflectir, sobre o calor e manado da nossa alma; - a esse calor que nos desperta, encoraja e dá força, para levar mos mais longe, o reflexo da nossa vivencia crista e nos move a praticar.

(A caridade) – (A justiça) – (A bondade)

(A tolerância) – (O perdão) – (O amor)

(E a reconciliação) – estas sete de virtudes movem tudo á nossa volta e em nosso redor – transformam a nossa vida, num mar de águas mansas, onde a nossa barca navega em segurança, em direcção a Deus e ao infinito.

Nota: - não podia deixar passar, esta quadra festiva da Pascoa, sem aqui lembrar o nosso centro de dia – para fazer uma merecida alusão e referencia, as senhoras e as meninas que lá trabalham e prestam os nossos serviços.

Mais precisamente as dirigentes e responsáveis, da instituição: - nessa casa á de tudo e nada falta, desde o bom trato que nos dão, ate á preciosa ajuda, que tantas vezes nos prestam e para as quais só por nós, não tínhamos capacidade para as resolver. – muito obrigado a todas.

Faço votos, para que a Pascoa deste ano, vos incentive e ajude, a manter sempre vivo esse vosso lema de bem servir: - são esses os meus sinceros votos.

Uma santa Pascoa, para todos os utentes e pessoal de serviço do centro social e cultural da Paróquia de Mangualde.

António Rocha Barra

Utente do serviço de apoio do centro social da paróquia de Mangualde

 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Centro de Dia - Actividades

Centro de Dia

 

Encontros intergeracionais

 CAM00947 800x600 CAM00950 800x600 

Comemoração do Dia da Amizade

 CAM00660 800x600 CAM00661 800x600 

CAM00662 800x600 CAM00663 800x600 CAM00664 800x600

Trabalhos manuais

CAM01241 800x600 CAM01683 800x600

CAM01690 800x600

Dia dos Avós

CAM00916 800x600 CAM00918 800x600

CAM00919 800x600 CAM00924 800x600

CAM00925 800x600

Comemoração do dia Mundial da Alimentação

CAM01763 800x600 CAM01768 800x600

Ação de sensibilização com a Nutricionista no âmbito

da Comemoração do Dia Mundial da Alimentação

 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Centro de Dia - Actividades

Encerramento Desporto Sénior

CAM00244 800x600

CAM00246 800x600 CAM00247 800x600

CAM00249 800x600 CAM00252 800x600

No dia 13 de junho decorreu a festa de encerramento do projeto “Desporto Sénior” com a realização de um almoço convívio no Parque da Senhora dos Verdes.

Uma tarde na Biblioteca

CAM00336 800x600

A Biblioteca Municipal de Mangualde proporcionou uma tarde para todos os idosos dos Lares e Centro de Dia do Concelho de Mangualde.

CAM00339 800x600 CAM00340 800x600

Esta iniciativa decorreu no âmbito do projeto de promoção de leitura “Biblioteca para avós”.

“Memórias de Outono” foi uma sessão de partilha de experiencias, testemunhos de todas as instituições do concelho.

 
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Centro de Dia - Actividades

Carnaval

Mascarados a rigor, como manda a tradição de Carnaval os utentes do Centro Social e Cultural da Paróquia de Mangualde passaram uma tarde diferente no dia 28 de fevereiro no Centro Social de Fornos de Maceira Dão.

DSC00876 800x600

DSC00871 800x600 DSC00874 800x600

DSC00882 800x600 DSC00889 800x600

DSC00902 800x600 DSC00906 800x600

Houve muita diversão e animação que com as danças marcaram o entrudo.

Esta iniciativa, como já vem sendo habitual, foi promovida pelos professores de Desporto Sénior da Câmara Municipal de Mangualde, para todos os idosos institucionais do concelho.

Participaram no desfile de máscaras, todas as instituições presentes, seguindo-se o baile.

A iniciativa terminou mais tarde com um lanche convívio e muita animação como no resto do dia.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Página 2 de 10